Agências de propaganda incentivam criatividade para vencer a crise


A campanha desenvolvida por agências publicitárias associadas ao Sinapro-Bahia ressalta a importância das empresas se comunicarem com os consumidores neste momento de pandemia.

Apesar do isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a criatividade não pode parar. Esse é o mote da campanha, desenvolvida por agências publicitárias associadas ao Sindicato das Agências de Propaganda do Estado da Bahia (Sinapro-Bahia), nas cidades de Itabuna e Ilhéus, na região Sul do estado. No vídeo, os executivos das agências Art 3 Propaganda (Itabuna), Avoar Comunicação (Ilhéus), RCM Propaganda (Itabuna) e Visão Propaganda (Itabuna), ressaltam a importância das empresas se comunicarem com os consumidores neste momento de crise.

“A gente quer transmitir uma mensagem positiva e criativa de que estamos antenados e prontos para assessorar nossos clientes a enfrentar este momento da melhor forma possível, com rapidez, criatividade, ética e elegância”, explica o delegado Regional Sul do Sinapro-Bahia, Tião Barros. O vídeo, que será veiculado pelas TVs Santa Cruz/Rede Bahia e RecordTV Cabrália, e nas redes sociais, foi editado pela produtora Ícone Audiovisual.

A campanha conta com depoimentos de: Lorenna Caldas, CEO da Avoar Comunicação; Rui Carvalho e Thiago Novoa, diretores da RCM Propaganda; Silvio Roberto Oliveira, diretor da Visão Propaganda; Rose Souza e Tião Barros, diretores da Art3 Propaganda; e Marcella Benedicts, gerente de Atendimento Extremo Sul da Avoar Comunicação.

Vídeo:

Mega-Sena acumula e próximo concurso vai sortear R$ 26 milhões


Imagem ilustrativa

Nenhum apostador acertou as seis dezenas do Concurso 2.269 da Mega-Sena, sorteados nesta quarta-feira (10) à noite no Espaço Loterias Caixa, no Terminal Rodoviário Tietê, em São Paulo.

Os números sorteados foram 01, 11, 14, 23, 29 e 55.

A quina teve 46 acertadores e cada um vai receber R$39.726,16. As 3.225 apostas ganhadoras da quadra terão o prêmio individual de R$  827,07.

A estimativa de prêmio do próximo concurso, no sábado (10), é de R$ 26 milhões para quem acertar as seis dezenas.

As apostas na Mega-Sena podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio em lotéricas ou pela internet.

A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 4,50.

Bahia: Empregadora é condenada por manter doméstica em trabalho análogo à escravidão por 35 anos


Bahia registrou 21 casos de trabalho escravo em 2019, diz MPT — Foto: Divulgação/MPT.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) conseguiu na Justiça do Trabalho a condenação de Arlinda Pinheiro de Souza Santos por manter empregada doméstica trabalhando por mais 35 anos sem qualquer remuneração.

O caso foi descoberto pelo órgão a partir de denúncias anônimas que resultaram em uma ação de fiscalização autorizada pelo Judiciário na casa da patroa no dia 21 de dezembro de 2017. A sentença determina o pagamento de cerca de R$170 mil para a vítima a título de indenização por danos morais e pagamento das verbas rescisórias, além do reconhecimento do vínculo e recolhimento de INSS e FGTS pelo período de trabalho.

A ação foi ajuizada pela procuradora Juliana Corbal, da unidade do MPT de Santo Antônio de Jesus, município do recôncavo baiano onde ocorria o caso de trabalho escravo doméstico. No processo, o MPT informa que a trabalhadora, uma senhora de idade, foi encontrada na residência e confirmou em depoimento que trabalhava sem receber qualquer tipo de pagamento. O trabalho era trocado pela moradia, alimentação e vestiário. Por laços afetivos, a trabalhadora não quis ser resgatada.

A sentença foi dada pela juíza substituta da Vara do Trabalho de Santo Antônio de Jesus Paula Leal Lordelo, que determinou, além do pagamento dos R$170 mil, a quitação dos débitos junto ao INSS e ao FGTS. Ela também determinou que se os débitos não forem quitados no prazo poderão ser retidos os valores de restituição do Imposto de Renda. O valor da rescisão do contrato de trabalho, no entanto, foi limitado na sentença aos últimos cinco anos de trabalho, entendendo que os direitos econômicos anteriores a isso prescreveram.

Força-tarefa – A identificação de casos de trabalho escravo doméstico esbarra no princípio da inviolabilidade do lar. Neste caso, no entanto, a força-tarefa de combate ao trabalho escravo, formada por um procurador do trabalho, uma auditora-fiscal do trabalho, um oficial de Justiça e policiais federais, obteve autorização para entrar na casa para verificar a denúncia de trabalho escravo. Antes, a empregadora chegou a ser convocada a prestar esclarecimentos em audiência no MPT, mas se negou a receber a notificação.

Para obter a autorização judicial para realizar a fiscalização dentro da casa da empregadora, o MPT ingressou com ação cautelar na Justiça expondo o teor da denúncia e a negativa da empregadora em prestar esclarecimentos. No dia 21 de dezembro de 2017, a força-tarefa chegou ao local e confirmou o teor da denúncia tanto pelo depoimento da vítima quanto pela inexistência de qualquer documento relativo a uma relação de trabalho.

Escravidão na Bahia – A Bahia fechou o ano de 2019 com 21 trabalhadores resgatados de situações análogas às de escravo. É o quinto estado com maior número de trabalhadores retirados dessa situação desde 2003. Nesse período, foram registrados 3.270 casos. Em 2019, seis ações fiscais terminaram com a configuração de situação de trabalho escravo, sendo cinco na zona rural e um na zona urbana. Só na agropecuária, atividade econômica com maior incidência de trabalho escravo, já foram resgatados mais de 2.500 trabalhadores nas últimas duas décadas. A cadeia produtiva do cacau na região Sul apresenta os maiores índices de 2019.

No país, o ano passado teve 45 operações de resgate realizadas. Mais de mil trabalhadores foram retirados da situação de trabalho semelhante à de um escravo. Em 70% das operações fiscais, houve libertação de trabalhadores, índice maior do que o de 2018, quando 48% das operações terminaram com resgate. As operações no estado são executadas pela pela Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo – Coetrae Bahia, e pelo grupo de Articulação para Erradicação do Trabalho Escravo na Bahia (Gaete).

Prefeito de Ilhéus vistoria o Hospital Vida Memorial para ampliação de 10 novos leitos de UTI Covid-19


No início da noite desta quarta-feira (10), o prefeito Mário Alexandre realizou uma vistoria no Hospital Vida Memorial antes da implantação de 10 novos leitos de Unidade de Terapia Intendiva (UTI) específicos para o atendimento de pacientes infectados pelo novo coronavírus, que estarão disponíveis a partir de segunda (15). A unidade já conta com 10 leitos clínicos em funcionamento.

Com essa ampliação e os últimos 9 novos leitos implantados ontem (9) no Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), o número de leitos em Ilhéus vai subir para 94 no território municipal, todos específicos para Covid-19, sendo 55 de UTI e 39 leitos clínicos.O prefeito Mário Alexandre comemora a ampliação e destaca que esse é o resultado do trabalho de antecipação realizado frente à pandemia. “O dever de casa está sendo feito com maestria entre o município e o governo do Estado. Isso se reflete no avanço da saúde em Ilhéus, que possui hoje uma média de leitos de UTI superior às médias da rede estadual e nacional, assim como acima da média de outros países, para cada dez mil habitantes. Esses novos leitos vem reforçar ainda mais a estrutura hospitalar, garantindo uma reserva técnica importante com uma margem de segurança para a saúde, o que tem nos permitido flexibilizar o comércio com as devidas segurança e precaução”, destacou.No Hospital Vida Memorial, são 10 leitos clínicos em funcionamento e mais 10 de UTI disponíveis a partir desta quinta-feira (11). No Hospital de Ilhéus, são 16 leitos de UTI e 11 leitos clínicos, e, no HRCC, funcionam 29 leitos de UTI e 18 clínicos, todos específicos para pacientes Covid-19, segundo dados da Secretaria de Saúde do Município de Ilhéus.

“Estamos acompanhando assiduamente o cenário do coronavírus, dia após dia, e não tenho dúvidas de que vamos vencer esse inimigo invisível”, completou o prefeito Mário Alexandre.

Bahia registra 32.685 casos confirmados de Covid-19


A Bahia registra 32.685 casos confirmados de coronavírus (Covid-19), o que representa 19,14% do total de notificações no estado. O boletim epidemiológico ainda contabiliza 14.228 pessoas recuperadas, 975 óbitos e 17.482 indivíduos monitorados pela vigilância epidemiológica e com sintomas da Covid-19, o que são chamados de casos ativos.

Os casos confirmados ocorreram em 346 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (57,19%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 1.000.000 habitantes foram Ipiaú (8.523,53), Itajuípe (8.296,33), Uruçuca (7.407,77), Urandi (6.423,34) e Salvador (6.319,22).​

Na Bahia, 4.715 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui.

Caixa pagará auxílio emergencial na sexta-feira e no sábado


As agências da Caixa Econômica Federal (CEF) não funcionarão nesta quinta-feira (11), feriado de Corpus Christi. Na sexta-feira (12), as agências estarão abertas normalmente, inclusive para o pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600 para beneficiários nascidos no mês de novembro.

No sábado (13), 680 agências farão atendimento para o pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial para beneficiários nascidos em dezembro. No site da Caixa Econômica, há informação da localização das agências. Também estão na internet orientações sobre o uso de aplicativos da Caixa para movimentar o dinheiro creditado.

Tem direito ao auxílio pessoas que estejam desempregadas ou exerçam atividades que foram afetadas pela pandemia da Covid-19 na condição de trabalhador informal, microempreendedor individual (MEI), contribuinte individual da Previdência Social e que pertença à família cuja renda mensal por pessoa não ultrapasse meio salário mínimo (R$ 522,50), ou cuja renda familiar total seja de até três salários mínimos (R$ 3.135,00).

Segundo o vice-presidente da Caixa para Rede de Varejo, Paulo Henrique Angelo, já foram pagos R$ 76,6 bilhões a 58,6 milhões de beneficiários inscritos por meio do Cadastro Único, do Programa Bolsa Família, ou pelo site e pelos aplicativos da CEF.

Em live no YouTube para atualização de números das operações de pagamento, Paulo Henrique informou que o maior volume de pagamentos foi feito nas regiões mais populosas: Sudeste (R$ 27,7 bilhões) e Nordeste (R$ 27,4 bilhões). No Norte, foram pagos R$ 8,3 bilhões. No Sul, R$ 7,8 bilhões. E no Centro-Oeste, R$ 5,4 bilhões. São Paulo foi o estado que ficou com a maior proporção do dinheiro, 17,3%.

Mais de 107 milhões de pessoas se cadastraram para receber o benefício, sendo que desse total, 59,2 milhões foram considerados elegíveis, 42,7 milhões inelegíveis, cinco milhões e meio de pessoas estão com a demanda em análise e 5,2 milhões de pessoas que tiveram o pedido negado para receber o benefício estão em nova análise.

Homem invade sede da Globo portando faca e faz repórter refém


A repórter Maria Araújo foi feita refém e liberada minutos depois.

A sede da TV Globo, localizada no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, foi invadida na tarde desta quarta-feira (10) por um homem que portava uma faca. A repórter Maria Araújo foi feita refém e liberada minutos depois, quando a apresentadora Renata Vasconcellos, que o invasor exigia ver, compareceu ao local. Nenhum funcionário se feriu.

Segundo nota emitida pela Globo, a pessoa “tinha distúrbios mentais” e a invasão não teve “nenhuma conotação política”. A equipe de segurança da emissora agiu rapidamente, isolou o local e chamou a Polícia Militar.

O comandante do 23° batalhão da corporação, coronel Heitor Henrique Pereira, compareceu à sede e conduziu a negociação. O homem exigia ver Renata que, seguindo instruções da polícia, compareceu ao local onde estava Marina e o invasor. Tão logo a viu, ele largou a faca, liberou Marina e foi preso imediatamente.

Com informações da Joven Pam.

Rui Costa critica ‘politização’ em investigação sobre caso dos respiradores


Em live, Rui anuncia novas ações em combate ao Covid-19. Foto: Camila Souza/GOVBA.

“Para mim, independe quantas investigações serão realizadas e quem irá participar. O que nós queremos é a devolução imediata do recurso público e identificação dos envolvidos”. A declaração sobre as investigações em torno da compra de respiradores junto à empresa HempCare, denunciada pelo Consórcio Nordeste, foi dada pelo governador Rui Costa durante entrevista ao Bahia Meio Dia, da TV Bahia, na tarde desta quarta-feira (10).

A Hempcare foi alvo da operação Ragnarok, no início deste mês de junho, após vender os respiradores por R$ 48,7 milhões. A empresa não entregou os equipamentos, nem devolveu o dinheiro. Outra empresa, a Biogeoenergy também é alvo da investigação.

Rui Costa ainda criticou a politização realizada neste momento que deveria ter como foco o combate à disseminação da Covid-19. “Neste momento se criou uma disputa política e uma confusão jurídica. Há muita contaminação política e, infelizmente, a preservação da vida humana acaba ficando em segundo plano. A prioridade está na disputa política, que muitas vezes é levada para o campo dos procedimentos legais. Queremos o mais rápido possível a identificação dos culpados e devolução do dinheiro, pois estamos precisando desse recurso para continuar salvando vidas humanas”.

O governador ainda revelou que os empresários presos durante as investigações se mostraram dispostos a devolver parte do recurso, mas a ação fica inviabilizada diante da suspensão das investigações pela justiça. “Não é possível paralisar uma operação em curso e não há nenhum prejuízo que no âmbito federal também se replicasse a operação. Eu não consigo entender a lógica da paralisação já que eventuais criminosos estavam sendo alcançados pelo estado e pela a justiça. Há um pano de fundo no país de criminalizar a ação de prefeitos e governadores, mesmo quando estes denunciam que foram vítimas de crimes”, ressalta Rui Costa.

Perdas no setor de turismo chegam a quase R$ 90 bilhões, diz CNC


Decolagem do aeroporto Jorge Amado /Ilhéus. . Foto Jamesson Araújo.

Desde o início da pandemia da covid-19, declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em março, o setor de turismo no Brasil já acumula perdas de R$ 87,79 bilhões em relação ao faturamento médio do período, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). 

Com o fechamento de fronteiras, cancelamento de voos e cuidados de isolamento social necessários para impedir a transmissão da doença, o setor foi fortemente impactado pela pandemia, disse a confederação, que prevê que o número de demissões no setor pode chegar a 727,8 mil até o fim deste mês.

De acordo com a CNC, somente o subsetor de alojamento e alimentação fora do domicílio, que responde por 57% dos empregos no turismo, pode ter demitido cerca de 350 mil trabalhadores formais de março a maio. A projeção se dá a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que apontou a eliminação de 211,7 mil empregos formais em março e abril.

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, avalia que as medidas emergenciais adotadas pelo governo federal ajudaram a reduzir o impacto, mas serão necessárias ações adicionais para preservar os empregos e as empresas do setor.

As perdas do setor registraram R$ 13,38 bilhões em março e subiram para R$ 36,94 bilhões em abril, e R$ 37,47 bilhões em maio, meses em que houve “uma paralisia quase completa do setor”, segundo a CNC.

Mais da metade do prejuízo nacional se deu nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, onde a oferta de transporte aéreo chegou a cair mais de 90% em abril e maio.

A CNC pontua que a flexibilização da quarentena em outros países não reverteu a queda, o que significa que o setor precisará de medidas de estímulo específicas. “Ainda não é possível detectar quando se dará a inflexão da atual tendência de perdas nas atividades que compõem o turismo nacional. Mesmo em outras regiões do mundo que já contam com o relaxamento da quarentena, nota-se uma inércia mais acentuada no processo de recuperação do turismo em relação a outras atividades econômicas”, analisa a Divisão Econômica da confederação.

Informações da Agência Brasil.

Trecho da BR-349 em Bom Jesus da Lapa é recuperado


Com a conclusão da obra, os usuários da rodovia terão mais segurança, maior trafegabilidade e comodidade.

O Governo Federal entregou, nesta quarta-feira (10), 88,6 quilômetros de pista recuperada na BR-349, no estado da Bahia. A obra executada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), localizada no trecho entre o km 752,8 e o km 841,4, fica próxima aos municípios de Bom Jesus da Lapa, Serra do Ramalho, Santa Maria da Vitória e São Félix do Coribe. A restauração contou com um investimento total de R$ 8 milhões.

Com a obra finalizada, os usuários da rodovia terão melhores condições de trafegabilidade, com mais conforto e segurança. As equipes do DNIT realizaram os serviços de aplicação da camada de CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado a Quente), tapa buraco e microrevestimento asfáltico, limpeza e manutenção dos dispositivos de drenagem e sinalização horizontal e vertical na rodovia.

Para o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, a finalização da obra foi um compromisso do Governo Federal com o interior baiano. “Mesmo diante da pandemia que estamos vivendo, o DNIT está executando e finalizando obras que são importantes para o desenvolvimento do Brasil. Importante manter a nossa infraestrutura funcionando e escoar a produção do interior baiano”, destacou.

Já para o diretor-Geral do DNIT, General Santos Filho, essa é a 23ª entrega da autarquia durante o período da pandemia. “Nossas equipes têm tomado as devidas precauções de saúde e as obras continuam, em busca de entregar resultados à sociedade. Essa recuperação na Bahia era aguardada há muito tempo e temos a alegria de concretizar isso”, afirmou o general.

Economicamente, a BR-349/BA tem papel fundamental para o escoamento da produção da região agrícola irrigada pelo Rio São Francisco, nas proximidades de Serra do Ramalho. Além disso, a rodovia tem grande relevância religiosa, sendo o caminho feito por romeiros, principalmente da região Centro-Oeste, com destino à cidade de Bom Jesus da Lapa.

TRABALHO CONTÍNUO – Os colaboradores do DNIT continuam trabalhando nos serviços de roçada, capina, caiação de meio-fio e recuperação de acessos à rodovia e travessias urbanas. O contrato de manutenção tem previsão de término no primeiro semestre de 2021.

Com informações da Coordenação de Comunicação Social do DNIT